• Rua Tapajós, 645/655. Centro, Manaus (AM)
  • (92) 3233-5555   (92) 98118-1168
  • Seg a sex: 08h às 18h Sáb 08h às 12h

TRATAMENTOS

É a opacificação do cristalino, lente natural dos olhos que normalmente é clara e transparente. Com o aparecimento da catarata, esta lente se torna opaca e impede a passagem dos raios luminosos que formam a imagem no fundo do olho.

 

Causas:

  • Envelhecimento natural;
  • Diabetes Mellitus, Hipertireoidismo, doenças renais;
  • Uso de corticoides;
  • Tabagismo;
  • Trauma ocular;
  • Radiações (UV, Raios-X e outras).

 

Sintomas:

  • Sensação de visão embaçada;
  • Alteração contínua do grau dos óculos;
  • Maior sensibilidade à luz;
  • Percepção desbotada das cores.

 

Tratamento:

  • O tratamento disponível atualmente é cirúrgico e deve ser realizado o mais cedo possível, buscando facilitar o processo e diminuir as complicações.

 

Recomendações:

  • Quanto mais cedo a catarata for descoberta e tratada, melhores as chances de cura.
  • A cirurgia necessita de uma excelente biossegurança, pois não admite infecções.
  • Você pode aproveitar a cirurgia de catarata para colocar uma lente artificial premium, limitando sua dependência de óculos.

Atenção: Lembre-se, a lente intraocular é definitiva. Portanto, escolha a melhor possível.

O Pterígio, popularmente chamado de “carne crescida”, é uma pequena carne (tecido fibrovascular) que surge na córnea, tirando seu brilho e sua beleza.

 

Causas:

  • Fator hereditário;
  • Exposição solar frequente.

 

Sintomas:

  • Visão embaçada;
  • Desconforto ocular;
  • Irritação e vermelhidão;
  • Coceira;
  • Lacrimejamento.

 

Tratamento:

  • O melhor tratamento existente atualmente envolve a remoção do pterígio com autotransplante de conjuntiva sadia e a sua fixação com cola biológica.
  • Entre as vantagens do uso de cola biológica, podemos destacar:
    • Não necessita de pontos;
    • Cicatrização mais rápida e menos incômoda;
    • Retorno as atividades em menor tempo;
    • Resultado satisfatório.

 

Recomendações:

  • Procure realizar a cirurgia de pterígio com autotransplante de conjuntiva e cola biológica, pois quando esta cirurgia é realizada pelo método antigo (com pontos), o risco de voltar a carne crescida é muito grande e o retratamento é pouco eficaz.

O Pterígio, popularmente chamado de “carne crescida”, é uma pequena carne (tecido fibrovascular) que surge na córnea, tirando seu brilho e sua beleza.

 

Causas:

  • Fator hereditário;
  • Exposição solar frequente.

 

Sintomas:

  • Visão embaçada;
  • Desconforto ocular;
  • Irritação e vermelhidão;
  • Coceira;
  • Lacrimejamento.

 

Tratamento:

  • O melhor tratamento existente atualmente envolve a remoção do pterígio com autotransplante de conjuntiva sadia e a sua fixação com cola biológica.
  • Entre as vantagens do uso de cola biológica, podemos destacar:
    • Não necessita de pontos;
    • Cicatrização mais rápida e menos incômoda;
    • Retorno as atividades em menor tempo;
    • Resultado satisfatório.

 

Recomendações:

  • Procure realizar a cirurgia de pterígio com autotransplante de conjuntiva e cola biológica, pois quando esta cirurgia é realizada pelo método antigo (com pontos), o risco de voltar a carne crescida é muito grande e o retratamento é pouco eficaz.

O glaucoma é uma doença neurovascular relacionada à pressão ocular. Quando não diagnosticado e tratado a tempo, pode levar à cegueira.

 

Causas:

  • Histórico de glaucoma na família;
  • Pressão aumentada nos olhos;
  • Negros;
  • Diabéticos;
  • Usuários de terapia com corticoides;
  • Trauma ocular prévio.

 

Sintomas:

  • Nos casos iniciais, a doença costuma ser assintomática, ou seja, não se percebe nenhuma perda de visão. Porém, em casos avançados, existe perda dos campos de visão laterais, levando o paciente a esbarrar com facilidade em objetos ao caminhar.
  • Em casos mais raros, os sintomas podem incluir:
    • Dor intensa nos olhos e ao redor dos olhos;
    • Dor de cabeça;
    • Vermelhidão nos olhos.

 

Tratamento:

  • O tratamento do glaucoma tem o objetivo de controlar e evitar a progressão da doença, podendo ser feito com:
    • Medicamentos hipotensores;
    • Trabeculoplastia a laser;
    • Implante de válvula para drenagem do líquido intraocular (Válvula Express).

 

Recomendações:

  • Procure fazer uma Tomografia de Coerência Óptica (OCT) uma vez ao ano, exame fundamental para diagnóstico, tratamento e acompanhamento da doença.
  • Por ser uma doença familiar, os membros da família também precisam ser acompanhados.
  • Lembre-se de sempre avisar outros médicos de sua condição glaucomatosa, pois algumas medicações podem alterar o tratamento.
  • Nós dispomos dos melhores equipamentos para o diagnóstico e o acompanhamento das possíveis alterações do nervo óptico e da camada de fibras nervosas da retina.
  • No caso dos procedimentos que devem ser realizados em centro cirúrgico, é necessário que haja uma excelente biossegurança.

Este é um processo degenerativo que provoca a deformidade da córnea, que, por sua vez, é a membrana transparente que protege o olho. O ceratocone deixa a córnea mais fina e curva, adquirindo a forma de um pequeno cone.

 

Causas:

  • Alergia Ocular;
  • Fator hereditário;
  • Síndrome de Down;
  • Visão embaçada.

 

Sintomas:

  • Dificuldade de enxergar em ambientes com pouca luz;
  • Alto astigmatismo;
  • Distorção das imagens;
  • Visão dupla.

 

Tratamento:

  • Lentes de contato fluorcarbonadas;
  • Lentes esclerais;
  • Cross-linking;
  • Anel intraestromal;
  • Transplante de córnea em casos avançados (DALK).

 

Recomendações:

  • Se você tem astigmatismo ou caso de ceratocone na família, procure nosso centro especializado para acompanhamento oftalmológico.
  • Em teoria, esfregar os olhos que estão predispostos ao ceratocone traumatiza a córnea. Por isso, procure tratar todas as formas de alergias oculares.
  • É fundamental o diagnóstico preventivo em pacientes com predisposição para desenvolver ceratocone, pois o tratamento precoce inviabiliza o desenvolvimento da doença (Cross-linking).
  • O melhor equipamento para diagnóstico e acompanhamento da doença é a tomografia ocular (exame realizado em nosso hospital).

Após os 50 anos, sua vista pode sofrer perdas de qualidade, dificultando atividades como escrever, ler ou até mesmo identificar os traços do rosto de uma pessoa.

 

Causas:

  • Idade acima de 50 anos;
  • Histórico de DMRI na família;
  • Pessoas com pele e olhos claros;
  • Exposição solar;
  • Fumantes.

 

Sintomas:

  • Perda progressiva da visão central;
  • Linhas retas parecem distorcidas, embaçadas ou ausentes;
  • Visão borrada;
  • Diminuição da sensibilidade ao contraste da luz;
  • Alterações na aparência das cores.

 

Tratamento:

  • Melhorias no estilo de vida, na alimentação e no esporte;
  • Medicamentos antioxidantes;
  • Estimulação com laser de Micro-Pulse (Scanner laser 577 Yellow, o que oferece melhor resultado);
  • Terapia Antiangiogênica.

 

Recomendações:

  • Quanto mais cedo for descoberta e tratada a degeneração de retina, melhores são as chances de estabilização.
  • Existe uma grande diferença de preço e efetividade entre os diversos tipos de medicamentos para o tratamento da retina. Por isso, sempre solicite o rastreador da medicação que for colocada em seus olhos.
  • Você não precisa mais fazer exame de retina com injeção de contraste, pois já existe um tomógrafo que realiza o exame com melhor qualidade e sem necessidade de processo invasivo (Oct Angiography).
  • No caso dos procedimentos que devem ser realizados em centro cirúrgico, é necessário que haja uma excelente biossegurança.

Essa é uma doença crônica sistêmica caracterizada pela elevação de glicose (açúcar) na corrente sanguínea, afetando os vasos sanguíneos do organismo.

 

Causas:

  • Tempo de doença (Diabetes Mellitus);
  • Glicemia mal controlada;
  • Hipertensão arterial;
  • Nefropatia diabética.

 

Sintomas:

  • Embaçamento visual;
  • Mudança do grau do óculos;
  • Dor de cabeça;
  • Perda visual;
  • Manchas escuras flutuando na visão.

 

Tratamento:

  • Controle da glicemia;
  • Procedimentos a laser;
  • Terapia Antiangiogênica;
  • Cirurgia Vitreorretiniana.

 

Recomendações:

  • Quanto mais cedo for descoberta e tratada a degeneração de retina, melhores são as chances de estabilização.
  • Existe uma grande diferença de preço e efetividade entre os diversos tipos de medicamentos para o tratamento da retina. Por isso, sempre solicite o rastreador da medicação que for colocada em seus olhos.
  • Você não precisa mais fazer exame de retina com injeção de contraste, pois já existe um tomógrafo que realiza o exame com melhor qualidade e sem necessidade de processo invasivo (Oct Angiography).
  • No caso dos procedimentos que devem ser realizados em centro cirúrgico, é necessário que haja uma excelente biossegurança.

Estrabismo é um distúrbio que afeta o paralelismo entre os dois olhos, que apontam para direções diferentes (olhar vesgo).

 

Causas:

  • Herança genética;
  • Falta dos óculos no momento certo;
  • Traumatismo craniano;
  • Diabetes.

 

Sintomas:

  • Visão em dobro;
  • Percepção de profundidade diminuída;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos olhos;
  • Fadiga.

 

Tratamento:

  • O tratamento do estrabismo envolve cirurgia em músculos oculares externo com o objetivo de reposicionar o globo ocular.

 

Recomendações:

  • A cirurgia melhora a estética, porém não devolve a visão.
  • A cirurgia deve envolver um ambiente hospitalar de boa qualidade, pois necessita de uma equipe multidisciplinar.
  • Procure realizar procedimentos com profissionais experientes e com excelentes equipamentos.

Blefaroplastia é a remoção das dobras cutâneas excessivas para melhorar a funcionalidade das pálpebras.

 

Causas:

  • Envelhecimento;
  • Perda de peso excessivo;
  • Hereditariedade;
  • Alterações sistêmicas, como doenças do coração, renal e tireoide.

 

Sintomas:

  • Lacrimejamento;
  • Dor ocular;
  • Dificuldade para abrir os olhos;
  • Sensação de peso palpebral.

 

Tratamento:

  • O tratamento é cirúrgico e visa:
    • Restabelecer a harmonia da face de uma forma natural;
    • Melhorar não só o funcionamento das pálpebras em si, mas também a saúde ocular e o aparelho lacrimal;
    • Atenuar o ar de cansaço (a região fica mais harmônica com o restante da face).

 

Recomendações:

  • Por que realizar com o oftalmologista:
    • Maior conhecimento sobre a região dos olhos, pálpebras e órbita;
    • Habilidade com microcirurgia (cirurgias delicadas);
    • Preocupação com o funcionamento de todo o aparelho visual;
    • Segurança: avaliação prévia de todos os problemas oculares;
    • Em conjunto com a cirurgia palpebral, podem ser realizados procedimentos que restabeleçam o volume facial com preenchedores e toxina botulínica*.

*A Toxina Botulínica é utilizada atualmente na medicina para bloquear movimentos musculares exacerbados e/ou indesejados, principalmente na região ao redor dos olhos e face.