• Rua Tapajós, 645/655. Centro, Manaus/AM
  • (92) 3233-5555, (92) 98118-1168
  • Seg a sex: 12:30h às 19h Sáb 08:00 às 12h e 13:00 às 17h

Blog

Síndrome do olho seco: o que causa e como eliminar o problema?

Como eliminar a síndrome do olho seco? Veja neste artigo

Você já ouviu falar da síndrome do olho seco? Esta condição, também conhecida como síndrome da disfunção lacrimal, afeta milhões de brasileiros.

Trata-se de uma anomalia na produção ou na qualidade da lágrima, provocando o ressecamento da superfície ocular. Além disso, envolve vermelhidão, coceira e sensação de areia nos olhos.

A condição costuma afetar principalmente mulheres mais velhas, mas também podem ocorrer em qualquer sexo e idade. Se não tratada adequadamente, pode evoluir e causar a perda da visão.

Veja como eliminar o problema neste artigo. Confira!

O que causa a síndrome do olho seco?

As lágrimas têm função essencial para a saúde dos olhos. São elas as responsáveis por manter a hidratação e lubrificação natural da superfície dos olhos. Quando há o déficit desta substância, ocorre o que chamamos de síndrome do olho seco.

Para explicar melhor, veja como é constituída a lágrima.

Bem, ela é feita basicamente de 100 componentes, que estão classificados em: oleosos, aquosos e mucosas. Cada um tem um papel extremamente importante para a saúde ocular.

E qual a função de cada substância? Veja:

  • O componente oleoso evita que as lágrimas evaporem rapidamente, além de auxiliar na lubrificação;
  • Enquanto isso, a mucosa ajuda a segurar e espalhar as lágrimas (substância aquosa) por toda a parte externa dos olhos;

Qualquer alteração ou falha na distribuição dos nutrientes necessários afeta diretamente a produção das lágrimas. A redução na quantidade de lágrimas, por sua vez, faz com que o líquido evapore com mais rapidez.

Veja quais são as principais causas:

  • Função reduzida das glândulas lacrimais e perda do componente aquoso da lágrima como consequência do envelhecimento, de doenças sistêmicas e autoimunes, tais como: síndrome de Sjögren, artrite reumatoide, lúpus, etc;
  • Uso de certos medicamentos, entre os quais antidepressivos, antialérgicos, betabloqueadores;
  • Alterações hormonais. A menopausa e os anticoncepcionais, que mexem com os hormônios, ressecam os olhos das mulheres;
  • Evaporação excessiva provocada por fatores ambientais: ar condicionado, vento, clima quente e seco, fumaça, etc;
  • Lesões oculares, como cistos, conjuntivite e até cirurgias para correção de miopia.

Não deixe de conferir outros assuntos do nosso blog:
Existe relação entre dor de cabeça e problema de visão? Descubra!
9 sinais que indicam que você precisa procurar um oftalmologista

Como é feito o diagnóstico da síndrome?

Os sintomas da síndrome do olho seco podem se confundir com outros problemas de visão. E para que seja feito o diagnóstico correto, o indicado é ir ao oftalmologista, o especialista responsável por cuidar dessa região do corpo, o diagnóstico da síndrome é feito basicamente com um olhar clínico.

Eles ajudam o médico a avaliar o nível de produção das lágrimas. Feito o diagnóstico, o próximo passo é encaminhar o paciente ao tratamento adequado.

Tratamento da síndrome do olho seco

Para tratar a síndrome, geralmente os médicos indicam aplicação de lágrimas artificiais. Ou seja, lubrificantes oculares, na forma de colírios ou pomadas. Eles ajudam a aliviar os terríveis sintomas de coceira, vermelhidão, ardência e “areia nos olhos”.

Entretanto, se houver suspeita de uma outra condição que esteja favorecendo os olhos secos, outro tratamento pode ser indicado. Mas saiba que somente um médico especialista poderá identificar e encaminhar o paciente para o tratamento correto.

Algumas práticas podem minimizar e evitar o problema

A evaporação das lágrimas pode ser evitada tomando algumas medidas simples no dia a dia. Veja:

  • Pessoas que sofrem com os olhos secos podem necessitar de cuidados especiais para se adaptar ao uso de lentes de contato;
  • Ao usar aparelhos eletrônicos como o computador ou TV, a tendência é piscar menos. A consequência disso é a secura dos olhos, pois as lágrimas não são distribuídas corretamente na superfície ocular, prejudicando a lubrificação;
  • Pessoas que convivem com a síndrome precisam de acompanhamento oftalmológico regularmente. Sem tratamento, podem ocorrer lesões na córnea que comprometem a qualidade da visão temporária ou definitivamente.

Gostou deste conteúdo? Se você se identificou com o que nós, do Hospital Julia Herrera, mostramos ao longo deste artigo, é hora de procurar ajuda médica. Afinal, a síndrome do olho seco pode ser tratada, proporcionando qualidade de vida ao paciente. Não deixe de conferir outros assuntos do nosso blog. Leia: Coceira nos olhos? Veja 6 possíveis causas e como tratar.

Escreva um comentário