• R: Salvador, 440, Ed. Soberane - Torre Corporate, 11º andar- Adrianópolis
  • Av. Coronel Teixeira, 6225 | Britannia Park Offices | 6o andar | sala 603 | Ponta Negra (Em breve)
  • (92) 3233-5555, (92) 98118-1168
  • Seg a Sex: 13h às 20h30 Sáb: 08h às 12h

Blog

Ceratocone tem cura? Descubra as causas, sintomas e tratamentos!

Ceratocone tem cura? Descubra as causas, sintomas e tratamentos!

Como está a sua visão? Você já fez algum exame oftalmológico recente? É importante estar em dia com a saúde dos olhos, pois eles estão expostos a qualquer tipo de doença. Seja genética ou não, esses problemas de visão podem prejudicar a rotina.

Por isso, se você está enxergando imagens distorcidas, borrada e até duplicada, é possível que tenha o ceratocone, uma doença oftalmológica rara. Muitas pessoas desconhecem a doença, principalmente as causas, sintomas e os tratamentos, e ficam com diversas dúvidas.

Pensando nisso, o Julia Herrera vai esclarecer algumas informações sobre a doença, e mostrar se a ceratocone tem cura. Confira!

Leia também:

O que é Ceratocone?

O ceratocone é uma doença hereditária degenerativa que pode surgir durante o princípio da vida adulta, na adolescência e na infância.

O ceratocone é uma doença hereditária degenerativa que pode surgir durante o princípio da vida adulta, na adolescência e na infância.

Esse problema de visão atinge a córnea, ou seja, é uma alteração que ocorre no local, causando dificuldades para enxergar. A córnea é a estrutura transparente que cobre a parte anterior da visão, é a lente natural dos olhos.

O ceratocone causa a deficiência na curvatura da córnea e o afinamento gradual. No momento em que afina, o paciente logo percebe uma dificuldade para enxergar com clareza, podendo ser severa, além de depender do tecido corneano afetado.

Para deixar mais claro, essa doença faz com que a parte central da córnea seja empurrada para fora, formando uma pequena saliência parecida com um cone.

Causas e sintomas

Essa doença oftalmológica está relacionada à herança genética, que quando desenvolvida, pode ocasionar a miopia e o astigmatismo nos pacientes. Dessa forma, o ceratocone provoca uma confusão de imagens que pode comprometer a visão e prejudicar a rotina do paciente.

Além disso, o ceratocone pode surgir por fatores externos também, como coceira frequente nos olhos ou apertá-los. Esses hábitos comuns acabam danificando a córnea.

Essas são as principais causa da doença. O ceratocone pode ser considerado um astigmatismo irregular, só que a sua condição é mais severa. Para ter mais cuidado, é preciso atentar-se aos sintomas que podem identificar esse problema de visão.

Sintomas

O ceratocone é uma doença não inflamatória que pode afetar os dois olhos, no entanto, a gravidade do problema pode ser diferente em cada olho. Os sintomas seguem as mesmas regras, dependendo do estágio é capaz de piorar com o tempo. Os principais sinais são:

Estágio inicial:

  • Desfoque leve na visão;
  • Alta sensibilidade à luz (fotofobia);
  • Visão levemente distorcida.

Estágio avançado:

  • Aumento do aparecimento de miopia e astigmatismo;
  • Visão dupla (diplopia);
  • Comprometimento da visão noturna;
  • Visão muito ruim (nem o uso de óculos ou lentes de contatos ajudam a resolver o problema.

Além desses sintomas, existe um sinal que pode ser observado em casos de ceratocone mais avançados. É o sinal de Musan, é quando há um recorte em forma de cunha na pálpebra provocado pelo crescimento do cone: o paciente está olhando para baixo.

Ceratocone tem cura?

O ceratocone não tem cura, mas existem tratamentos que podem ajudar o paciente a restabelecer acuidade visual adequada. Além disso, o uso de óculos ou lentes podem ajudar durante a fase inicial da doença.

Tratamento do ceratocone

Óculos, lentes, implante de anel ocular e transplante de córnea são os principais tratamentos para tratar a doença de forma adequada. No entanto, o tratamento depende da gravidade e o avanço da doença.

Como o ceratocone não tem cura, o objetivo do tratamento é impedir que a doença piore e proporcione algum problema grave. Além disso, ele ajuda a possibilitar uma boa visão ao paciente, principalmente a preservar a saúde da córnea.

Os principais tratamentos são:

– Óculos: nos casos menos graves, o uso de óculos é o mais indicado para tratar a doença. Pois os óculos podem corrigir a miopia e astigmatismo, mas apenas nos primeiros estágios do ceratocone.

No entanto, se a doença evoluir para fases mais preocupantes, o uso de óculos é indispensável para endireitar a visão.

– Lentes de contato: quando os óculos não são mais eficaz para a correção, o uso de lentes de contato é a próxima alternativa indicada pelos oftalmologistas.

Existem diferentes tipos de lentes que se adequam a pacientes específicos. Algumas opções são:

  • Lentes esclerais (Esclera SG): em casos avançados, as lentes esclerais são as mais indicadas aos pacientes. Quando há uma mudança muito irregular no formato da córnea, a maioria dos pacientes acabam recorrendo ao procedimento de transplante de córnea.

No entanto, a lente esclerais pode ser efetiva no tratamento do ceratocone e impedindo que seja realizado o transplante.

Diferente das lentes tradicionais, as esclerais são apoiadas na parte branca do olho. Dessa forma, elas saltam sobre a córnea sem ao menos tocá-la, e por essa razão, o diâmetro da lente é maior.

A intenção é corrigir as deformações mais importantes da córnea. Porém, é aconselhável que esse procedimento seja feito por um oftalmologista experiente no tratamento da doença.

As lentes esclerais (Esclera SG) é um procedimento que deve ser feito por apenas um oftalmologista especialista no ceratocone. Por isso, é importante consultar um médico e realizar exames de vista, pois assim, é possível ter a orientação adequada de um especialista.

– Crosslinking: esse tratamento é um procedimento cirúrgico que tem o objetivo de fortalecer as moléculas de colágeno da córnea.

O processo é feito com a raspagem da superfície da córnea, com isso, é possível aplicar o colírio à base de vitamina B2, para em seguida, sobrepor o feixe ultravioleta.

– Transplante de córnea: quando o estágio da doença é mais grave, o transplante de córnea é sugerido pelo médico oftalmologista. É um procedimento, onde todas as camadas da córnea são extraídas. Essa cirurgia consiste no Transplante de Córnea Penetrante.

No entanto, com os avanços tecnológicos, há o Transplante Lamelar Anterior Profundo, que consiste na preservação da córnea dos pacientes.

– Anel de Ferrara: neste caso, um dispositivo curvo é implantado na córnea, assim, achatando a curva para melhorar a visão. Esse procedimento consiste na restauração do formato normal da córnea.

Além disso, essa cirurgia possibilita a tolerância de lentes de contato.

Sinais para ficar de olho

Então, se houver algum caso de ceratocone na família, consulte um oftalmologista, assim, evitando riscos mais graves para a visão.

Essa doença aparece em homens e mulheres na mesma intensidade, por isso é importante ficar atento aos fatores de riscos.

Julia Herrera – Hospital dos olhos

O Julia Herrera é um hospital dos olhos que se preocupa com o bem-estar e a saúde dos seus pacientes. Considerado o único hospital dos olhos da região norte, onde é possível encontrar atendimento e acompanhamento especializado.

Ele possui profissionais especializados e qualificados para atender casos oftalmológicos em média e alta complexidade. O Julia Herrera busca novos métodos para cuidar da saúde dos olhos, por isso, o hospital vai trazer em breve o tratamento com lentes Esclera SG para casos mais avançados do ceratocone.

É possível cuidar da saúde dos olhos de forma adequada e segura. Clique aqui e agende sua consulta agora mesmo!

Escreva um comentário