• R: Salvador, 440, Ed. Soberane - Torre Corporate, 11º andar- Adrianópolis
  • Av. Coronel Teixeira, 6225 | Britannia Park Offices | 6o andar | sala 603 | Ponta Negra (Em breve)
  • (92) 3233-5555, (92) 98118-1168
  • Seg a Sex: 13h às 20h30 Sáb: 08h às 12h

Blog

Quando ir ao oftalmologista? Veja 7 sinais que acendem o sinal de alerta!

consulta oftalmológica

Infelizmente, nem todas as pessoas entendem a importância de marcar uma consulta oftalmológica regularmente para verificar a saúde dos olhos. Assim, acabam recorrendo ao médico apenas quando alguma doença já se desenvolveu.

E para que você entenda quando é necessário ir ao oftalmologista, trouxemos neste conteúdo, 7 sinais que acendem o sinal de alerta. Veja!

1.Nunca ter feito uma consulta oftalmológica

Se o mais próximo que você chegou de uma consulta oftalmológica foi quando fez o teste do olhinho na maternidade, já está mais do que na hora de consultar um médico e cuidar da saúde dos seus olhos.

Durante a vida, há muitas chances de você desenvolver algum tipo de problema de vista. Quando criança, por exemplo, já é possível que haja o aparecimento de doenças como catarata congênita, tumor, glaucoma e estrabismo.

Além disso, na adolescência, além da miopia – que é a dificuldade de enxergar de longe – também é possível desenvolver ceratocone. Para adultos e idosos é quase que inevitável o aparecimento de alguma complicação nos olhos, por mínima que seja.

2.Olhos irritados e lacrimejantes

Quando não se tratam de fatores externos ou temporários, sentir os olhos irritados e lacrimejando além do normal, significa que pode haver a presença de alguma doença ocular. Assim, você deve marcar uma consulta oftalmológica urgentemente.

Algumas causas desta irritação e lacrimejamento podem ser a conjuntivite ou úlcera de córnea, por exemplo. Nestes casos, além destes sintomas, estas inflamações costumam apresentar uma vermelhidão no local.

No caso de aparecimento ou suspeita de quaisquer tipos de doenças ou inflamações nos olhos, é recomendado (e necessário) consultar um oftalmologista. Pois, através de exames será possível diagnosticar e tratá-las.

3.Histórico de diabetes ou hipertensão

Pacientes que possuem diabetes ou hipertensão devem fazer uma consulta oftalmológica regularmente. Pois, quem tem histórico destas doenças, pode vir a desenvolver retinopatia diabética ou retinopatia hipertensiva.

No caso de retinopatia diabética, há mais chances de aparecimento quando a diabetes do paciente não está controlada. E em seu estágio inicial, pode não ser perceptível ao paciente.

Por isso, é necessário que os portadores de diabetes do tipo 2 façam o exame de fundo de olho todos os anos, como forma de prevenção. Já os portadores do tipo 1 precisam fazer o primeiro exame cinco anos após o diagnóstico da diabetes – que é o tempo médio de desenvolvimento da retinopatia diabética.

A hipertensão é outro fator de risco para a saúde dos olhos, pois o paciente pode vir a desenvolver a retinopatia hipertensiva. Pois, assim como a retinopatia diabética, esta lesão pode levar à cegueira, se não for tratada.

4.Ter mais de 50 anos

Se você tem mais de 50 anos, saiba que é necessário fazer uma consulta oftalmológica regularmente. Pois, como já comentamos, é quase inevitável que ocorra o aparecimento de alguma complicação nos olhos por volta dessa idade.

Os idosos precisam de um cuidado ainda maior, porque nesta fase, os olhos já foram afetados e a prevenção agora deve ser contra a cegueira. Afinal, ninguém quer deixar de ver os netinhos crescerem. Não acha?

Por isso, é preciso verificar constantemente como anda a saúde dos seus olhos. Assim, tendo a certeza – através de exames – se há ou não a presença de doenças como a catarata ou outras complicações.

Leia também:

5.Perceber alterações na visão

Outro sinal de que você precisa marcar uma consulta oftalmológica é quando sua vista sofre alguma alteração – seja ela temporária ou permanente. Exemplo disso são os clarões de luz, sem formas definidas e que duram segundos.

Isso ocorre quando o vítreo fricciona ou repuxa a retina, dando este efeito – que é mais frequente e perceptível à noite. Geralmente, esta claridão atinge apenas um dos olhos, mas em raros casos por vir afetar ambos.

Além disso, aparecem como formas de linhas brilhantes recortadas, distorcendo a visão central. Em alguns casos são seguidas de uma dor de cabeça latejante em um dos lados da cabeça.

Apesar de muitas vezes não estarem envolvidos diretamente com alguma doença, estes clarões devem ser relatados ao médico durante a consulta oftalmológica. No caso de portadores de alta miopia, esta alteração deve ser tratada com caráter de urgência.

6.Sensibilidade à luz

A sensibilidade à luz pode ser causada por fatores comuns, como no caso de quem tem olhos mais claros, onde há pouca pigmentação para protegê-los. Mas se esta má condição aparecer de forma repentina, você deve consultar um médico.

Esta sensibilidade – também conhecida como fotofobia – pode ser um sinal de infecções ou doenças nos olhos, como conjuntivite, irite e doenças da córnea. Desta forma, vale a pena marcar uma consulta oftalmológica para ver se está tudo certinho com os seus olhos.

7.Tem a vista cansada

A presbiopia, ou vista cansada, geralmente começa a atingir os olhos por volta dos 40 anos. A necessidade de aproximar um livro ou jornal para conseguir ler, é um dos sinais da presença desta má condição. Por isso, algumas pessoas a chamam de “síndrome do braço curto”.

Ela ocorre de forma natural, com o desgaste dos olhos no decorrer da vida, quando os olhos começam a perder a elasticidade do cristalino. Desta forma, a pessoa sente dificuldade em enxergar com nitidez os objetos próximos.

Assim que a pessoa  começa a sentir estes sintomas, a primeira reação é recorrer à compra de um óculos – muitas vezes sem prescrição médica – o que é errado e prejudicial. O recomendado sempre é optar por fazer uma consulta oftalmológica, onde o especialista pode indicar o melhor tratamento para o seu caso.

E esta recomendação vale para todos os 7 sinais de alerta que apresentamos ao decorrer deste texto. Aliás, esperamos que tenha gostado deste conteúdo. 

Para ler mais, é só acessar nosso blog. Ou se preferir, temos outra sugestão de leitura para você: Como escolher um hospital oftalmológico? Veja 5 pontos que você precisa avaliar!

Escreva um comentário